Doe

OCA e Coletivo da Cidade participam de Fórum Internacional de Educação Popular em Recife

22/07/2016, às 11:45 | Tempo estimado de leitura: 4 min
Educadores dos dois projetos promoveram roda de conversa para apresentar algumas das ações e atividades realizadas com crianças e adolescentes da Cidade Estrutural (DF).

As ações do Observatório da Criança e do Adolescente (OCA) e do Coletivo da Cidade foram apresentadas nesta quinta-feira (21/7) no 10° Fórum Internacional de Educação Popular (Frepop), em Recife (PE), por educadores dos projetos, que compartilharam as atividades de formação em direitos humanos, direito à cidade, políticas públicas e orçamentos realizadas com os jovens da Cidade Estrutural (DF).

Cerca de 20 educadores de todo o país participaram da roda de conversa sobre a atuação do OCA e do Coletivo em Brasília, conhecendo suas trajetórias, ações e práticas, bem como

“Nossa metodologia dialoga com a do Coletivo da Cidade, tornando-se mais um caminho pedagógico à disposição das crianças e adolescentes na construção de um processo de transformação dentro da comunidade”, afirmou Jackeline Sousa, educadora do OCA, em sua apresentação.

Veja as fotos da roda de conversa realizada neste 10º Frepop:

Visite nosso Flickr e veja mais fotos de nossas atividades.

A produção das oficinas de educomunicação, como fotos, jogos e até a Agência Voz da Quebrada, criada este ano, foi apresentada na roda de conversa, com destaque para o jogo “Nossa Cidade”, produzido em 2014 com as crianças e adolescentes da Estrutural, com a participação do Movimento Nossa Brasília.

Ao final da roda de conversa, os educadores esclareceram muitas dúvidas sobre o projeto e trocaram muitas impressões sobre os diferentes caminhos, experiências, desafios, dificuldades e avanços possíveis com a Educação Popular na atuação com a juventude, no trabalho contínuo nas comunidades e mesmo no diálogo e relação com a educação formal.

O educador Carlos, de São José do Egito, sertão de Pernambuco, participou da roda e afirmou ter se identificado muito com o Projeto Oca e as experiências no Coletivo da Cidade. Para ele, a educação popular é fundamental para a formação de crianças e adolescentes, porque a escola formal não contempla a construção integral do sujeito. “Um horário integral de sala de aula, pra mim, não constroi o cidadão”, disse.

Para Monique, professora do Instituto Federal do interior do Rio Grande do Norte, a atividade foi inspiradora, “sobretudo pela maneira apaixonante, a vibração, a energia colocada na fala da Jackeline” ao descrever as experiências do Coletivo da Cidade. “Foi uma manhã bastante proveitosa e eu saio com vontade de conhecer um pouco mais e me engajar nesta energia, nesta vontade, nesta paixão, no engajamento com a Educação Popular e toda a referência que vocês conseguem trazer para a atividade”, disse ela.

A programação do Frepop se encerra às 11 horas deste sábado (2/7) de julho – veja aqui a programação completa.

Categoria: Notícia
Compartilhe

Conteúdo relacionado

  • Foto: José Cruz/Agência Brasil
    Orçamento secreto é controlado por pequeno...
    O orçamento secreto movimentou entre 2020 e outubro…
    leia mais
  • Perfil dos eleitos nas Eleições de 2022
    Pesquisa realizada pelo Inesc, em parceria com o…
    leia mais
  • Equipe do Inesc na COP 27: Iara Pietricovsky, Tatiana Oliveira, Leila Saraiva, Cássio Carvalho e Livi Gerbase.
    COP 27 – Apesar do pouco avanço glob...
    A 27ª edição da Conferência do Clima (COP…
    leia mais
  • COP 27: Brasil precisa fazer uma transição...
    Representantes do legislativo brasileiro, de sindicatos dos trabalhadores…
    leia mais
  • Estudo lançado na COP 27 revela que Brasil...
    O fomento aos combustíveis fósseis no Brasil alcançou…
    leia mais