Doe

O amor não se esconde: Dia da Visibilidade Lésbica é celebrado em Brasília

26/08/2016, às 16:35 | Tempo estimado de leitura: 3 min
O evento faz parte da campanha Livres & Iguais da ONU, que promove a igualdade de direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, pessoas trans e intersexo.

Para dar maior visibilidade às pautas de mulheres lésbicas e bissexuais, artistas e representantes de movimentos sociais e organizações da sociedade civil participaram ontem na Casa ONU, em Brasília, de um sarau em celebração do Dia da Visibilidade Lésbica. O evento faz parte da campanha Livres & Iguais, com a qual a ONU promove a igualdade de direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, pessoas trans e intersexo.

“As ativistas realizaram intervenções ressaltando a violência vivida pelas mulheres lésbicas no Brasil, e chamaram a atenção para a mais terrível faceta da lesbofobia, os “estupros corretivos”, afirmou Carmela Zigoni, assessora política do Inesc que esteve presente ao evento.

O Dia da Visibilidade Lésbica é uma data nacional, instituída em 1996 pelo 1º Seminário Nacional de Lésbicas (SENALE), realizado no Rio de Janeiro. O objetivo da data é chamar atenção para problemas e particularidades compartilhadas especificamente por mulheres lésbicas, tanto na sociedade quanto também dentro do movimento LGBTI. Alguns desses temas são a lesbofobia, o machismo, a invisibilização e o acesso adequado a serviços de saúde. Em 2014, o SENALE resolveu que a data deveria contemplar também mulheres bissexuais.

Saiba mais sobre a data e a campanha Livres & Iguais da ONU.

Veja o vídeo da campanha.

Você sabia que combater pobreza e desigualdade tem tudo a ver com compreender o que é gênero, raça e etnia? Mulheres, negros e indígenas ganham menos, têm menor escolaridade, não conseguem representatividade política e sofrem violências constantes. Saiba mais aqui.

 

Categoria: Notícia
Compartilhe

Conteúdo relacionado

  • Perfil dos eleitos nas Eleições de 2022
    Pesquisa realizada pelo Inesc, em parceria com o…
    leia mais
  • Equipe do Inesc na COP 27: Iara Pietricovsky, Tatiana Oliveira, Leila Saraiva, Cássio Carvalho e Livi Gerbase.
    COP 27 – Apesar do pouco avanço glob...
    A 27ª edição da Conferência do Clima (COP…
    leia mais
  • COP 27: Brasil precisa fazer uma transição...
    Representantes do legislativo brasileiro, de sindicatos dos trabalhadores…
    leia mais
  • Estudo lançado na COP 27 revela que Brasil...
    O fomento aos combustíveis fósseis no Brasil alcançou…
    leia mais
  • Fossil Fuels Subsidies in Brazil: know, as...
    Desculpe-nos, mas este texto está apenas disponível em…
    leia mais