Doe

Inesc participa da 2º edição do “Café com ODS”

26/11/2020, às 17:20 | Tempo estimado de leitura: 3 min
Live teve como tema a questão da pobreza no Distrito Federal. Mapa das desigualdades, produzido pelo Inesc, cruza dados de renda e raça na região

Na manhã da última quarta-feira (25/11), Cleo Manhas, assessora política do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), participou da 2º edição do “Café com ODS”. O evento, organizado pela Frente Parlamentar dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), surgiu como uma das ações de implementação da Agenda 2030 no Distrito Federal e no Brasil. Também participaram da live Patrícia Chaves, consultora do Instituto de Defesa do Consumidor no Programa de Alimentação Saudável e Sustentável, e Thiago Gehre, da Universidade de Brasília.

Com o tema “Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares do Distrito Federal”, o evento expôs as desigualdades do DF e debateu estratégias para enfrentar a pobreza em nível local.

Patrícia Chaves recordou algumas informações divulgadas no Mapa das Desigualdades, produzido pelo Movimento Nossa Brasília e Inesc, como a relação entre renda e raça. “A renda é menor entre a população negra”, destacou a consultora, que ainda criticou o desmonte das políticas sociais nos últimos anos.

Erradicação da pobreza

Cleo chamou atenção para o retrocesso do ODS 1 (Erradicação da pobreza); para as consequências da pandemia do novo coronavírus, que deixou ainda mais nítida a desigualdade no Brasil; e para a importância de ações como o Mapa das Desigualdades.

“No Mapa de Desigualdades, cruzamos os dados da renda e da raça e foi possível comprovar como é forte a ausência do Estado em locais como Estrutural e Fercal, que são as cidades mais negras do DF e com menor acesso a políticas públicas”, disse Cleo. “No Lago Sul, por exemplo, cada pessoa gasta em média 330 litros de água por dia. Na Estrutural, essa média é de 60 litros. Na Chácara Santa Luzia, na Estrutural, onde não há água encanada, esse número é ainda menor”.

Ao final, Cleo registrou a importância da criação da Frente Parlamentar dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e urgência de indicadores que possam balizar políticas públicas no DF. “Estamos em fase de coleta de dados para um novo Mapa. Essas informações são essenciais para a formulação de políticas. Além disso, instituições como o Inesc têm como papel possibilitar mais incidências em 2021, principalmente na área de orçamento”, finalizou.

Assista ao evento na íntegra:

 

 

Categoria: Notícia
Compartilhe

Conteúdo relacionado

  • Estudo de caso: subsídios ao consumo de co...
    “Incentivos e subsídios ao consumo de combustíveis fósseis…
    leia mais
  • Foto: Felipe Dana/Reprodução
    Inesc lança novos estudos sobre combustíve...
    O Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) lança nesta…
    leia mais
  • Mapa dos Afetos – Fortalecendo a pop...
    A presente pesquisa foi elaborada pelo GT Gênero…
    leia mais
  • Foto: Kadan Lopes/Reprodução
    Movimento Nossa Brasília lança projeto “Ma...
    Criado com o objetivo de identificar locais seguros…
    leia mais
  • Inesc participa da 2º edição do “Café com ...
    Na manhã da última quarta-feira (25/11), Cleo Manhas,…
    leia mais