Donate

“A Vale assassinou a todos nós. Enquanto mãe eu morro um pouco a cada dia”

03/11/2019, 4:18 PM (update on 03/16/2019, 10:58 PM) | Estimated reading time: 1 min
By Por Maurício Angelo, para o site do Inesc
Andressa Rodrigues perdeu o único filho na tragédia de Brumadinho. Para ela, leis precisam ser mais rígidas frente ao modelo predatório de mineração.
Ilustração: Thaís Vivas

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese.

Category: Notícia
Share

Related content

  • Ilustração: Thaís Vivas
    “A Vale assassinou a todos nós. Enquanto m...
    Sorry, this entry is only available in Brazilian…
    read more
  • A mercadoria não vale a gota de sangue de ...
    Quando a lama tóxica que irrompeu da barragem…
    read more
  • Palmas (TO) - Adereços e pinturas corporais da etnia Pataxó (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
    Nota pública em defesa dos povos indígenas
    O Inesc vem a público, se somando ao…
    read more
  • Carta pública contra o loteamento político...
    Nesta terça-feira, 12 de junho de 2018, servidores…
    read more
  • Direitos Indígenas: entre desmontes, oport...
    Por Alessandra Cardoso e Leila Saraiva, assessoras políticas…
    read more