Doe

Em defesa de Paulo Freire, Patrono da Educação Brasileira

23/10/2017, às 12:30 (atualizado em 11/07/2019, às 14:05) | Tempo estimado de leitura: 33 min
Inesc é uma das instituições signatárias do Manifesto do Coletivo Paulo Freire por uma educação democrática. Título concedido ao educador em 2012 está ameaçado.

Forças conservadoras querem retirar o título de “Patrono da Educação Brasileira” de Paulo Freire, o pensador brasileiro mais reconhecido no mundo. O título foi concedido em 13 de abril de 2012, por meio da Lei 12.612/2012, de autoria da deputada federal Luiza Erundina. Para as entidades signatárias do manifesto, entre elas o Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), “defender Paulo Freire como Patrono da Educação Brasileira é defender nossa produção intelectual, a boa prática pedagógica e o próprio Brasil”.

Leia a íntegra do manifesto:

COLETIVO PAULO FREIRE POR UMA EDUCAÇÃO DEMOCRÁTICA

MANIFESTO

Defender Paulo Freire como Patrono da Educação Brasileira é defender nossa produção intelectual, a boa prática pedagógica e o próprio Brasil.

“Não posso ser professor a favor simplesmente do homem ou da humanidade, frase de uma vaguidade demasiado contrastante com a concretude da prática educativa. Sou professor a favor da decência contra o despudor, a favor da liberdade contra o autoritarismo, da autoridade contra a licenciosidade, da democracia contra a ditadura de direita ou de esquerda. Sou professor a favor da luta constante contra qualquer forma de discriminação, contra a dominação econômica dos indivíduos ou das classes sociais.”
(Paulo Freire, em Pedagogia da Autonomia)

“O que não é possível na prática democrática, é que o professor ou a professora, sub-repticiamente, ou não, imponha aos alunos sua ‘leitura de mundo’, em cujo marco situa o ensino do conteúdo. Combater o autoritarismo de direita ou de esquerda não me leva, contudo, à impossível neutralidade que não é outra coisa senão a maneira manhosa com que se procura esconder a opção.”
(Paulo Freire, em Pedagogia da Esperança)

São Paulo, 16 de outubro de 2017.

Movimentos ultraconservadores querem tirar de Paulo Freire o título de “Patrono da Educação Brasileira”. As signatárias e os signatários deste Manifesto expressam sua contrariedade perante tamanha injustiça, fruto do desconhecimento da pedagogia como ciência, da História da Educação e da própria História do Brasil.

Para quem desconhece os fatos, é necessário apresentar, brevemente, quem foi Paulo Freire.

Paulo Freire é o pensador brasileiro mais reconhecido no mundo, sendo considerado um dos maiores educadores da História. Como cidadão, sonhou em alfabetizar todas as brasileiras e todos os brasileiros, criando a principal proposta emancipadora de Educação de Jovens e Adultos, na perspectiva da Educação Popular e da Educação como Direito Humano.

Paulo Freire foi, essencialmente, um homem generoso e coerente. Sua produção teórica e leitura de mundo alimentaram sua prática cidadã e política – e por elas foram alimentadas. Criador de uma pedagogia viva, concebeu a educação como apropriação da cultura, e teorizou uma prática pedagógica alicerçada na conscientização das cidadãs e dos cidadãos por meio do diálogo entre o(a) educador(a) e o(a) educando(a).

Dedicada à emancipação plena de crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos, a teoria freireana busca a construção de uma sociedade mais humanizada, afirmando que é preciso que todas e todos aprendam a ler o mundo e as palavras, ampliando os repertórios, desenvolvendo o senso crítico, a autonomia intelectual e a solidariedade.

Diante da grandeza de sua vida e obra, Paulo Freire foi o brasileiro mais homenageado da História. Entre inúmeras honrarias, foi laureado com 41 títulos de Doutor Honoris Causa de universidades distribuídas por todo o mundo, sendo Professor Emérito de cinco universidades, incluindo a Universidade de São Paulo (USP). Também foi agraciado com diversos títulos da comunidade internacional, como o prêmio da UNESCO de Educação para a Paz, em 1986.

Pedagogia do oprimido (1968), considerada sua obra-prima, é a terceira mais citada em toda a literatura das Ciências Humanas, segundo pesquisa realizada por Elliott Green, professor associado à London School of Economics.

Entre 1989 e 1991, Paulo Freire foi Secretário de Educação do Município de São Paulo, na gestão da então prefeita Luiza Erundina. Até hoje é considerado o melhor gestor educacional da história paulistana, reconhecido tanto pela rede municipal quanto pelos estudiosos da gestão pública, chegando a ser aclamado “Presidente de Honra da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime)”.

Em 13 de abril de 2012, por meio da Lei 12.612/2012, de autoria da deputada federal Luiza Erundina, Paulo Freire foi declarado Patrono da Educação Brasileira, em aprovação unânime no Congresso Nacional. Esse reconhecimento fez jus, em solo nacional, às homenagens que o educador nordestino, nascido em Recife (Pernambuco), já tinha obtido e acumulado ao redor do mundo.

Qualquer exame da História comprova que o legado de Paulo Freire é motivo de orgulho para a Educação Nacional, para a Pedagogia como campo científico e para o próprio Brasil. Porém, nesse obscuro momento pelo qual passa o país, pessoas que desconhecem por completo a obra e o legado de Paulo Freire se articulam para retirar-lhe o título de Patrono da Educação Brasileira, por meio de medida revogatória no Congresso Nacional. Permitir a tramitação de tal injustiça é ofensivo à Democracia, à Educação, ao povo brasileiro e à própria imagem do Brasil perante a Comunidade Internacional.

A sociedade brasileira não pode permitir tamanho acinte. Cassar de Paulo Freire o título de “Patrono da Educação Brasileira”, recebido in memoriam, representa impor a ele e à sua obra uma espécie de segundo exílio, tão violento quanto o primeiro (1964-1980) – levado a cabo pela Ditadura Civil-Militar (1964-1985).

É preciso que o Brasil encontre um mínimo de pontos de convergência. Nesse sentido, defender o legado de Paulo Freire nada mais é do que reconhecer o trabalho de um homem do povo, criador de um pensamento pedagógico único e radicalmente democrático, por isso, revolucionário. Respeitar Paulo Freire é resguardar a História daquelas pessoas imprescindíveis que dedicam sua vida, dia após dia, à luta por um mundo livre, fraterno, igualitário, justo, próspero e sustentável.

É em nome de uma educação democrática que lutaremos pela manutenção do título que lhe foi merecidamente conferido em 2012. As cidadãs e os cidadãos que assinam este Manifesto, bem como as instituições signatárias, desejam vida longa à obra de Paulo Freire, declarando seu compromisso incansável e incondicional com a defesa do legado do maior educador da História do Brasil, legítimo e irrevogável Patrono da Educação Brasileira.

“Se nada ficar dessas páginas, algo, pelo menos, esperamos que permaneça: nossa confiança no povo. Nossa fé nos homens e na criação de um mundo que seja menos difícil de amar.”
(Paulo Freire, em Pedagogia do Oprimido)

Post Scriptum: as cidadãs, os cidadãos, as entidades e os movimentos que desejam aderir a esse Manifesto do “Coletivo Paulo Freire por uma Educação Democrática” devem enviar mensagem eletrônica para: paulofreirepatrono@gmail.com.

É preciso informar nome, profissão, formação e/ou função. Aderir a esse Manifesto é, antes de tudo, um ato de cidadania e responsabilidade histórica.

ASSINAM:

A) CIDADÃS E CIDADÃOS:
1. Ana Maria Araújo Freire (Nita Freire), escritora, educadora e viúva de Paulo Freire

2. Luiza Erundina de Sousa, assistente social, deputada federal (PSOL-SP) e prefeita de São Paulo (1989-1993)

3. Daniel Cara, educador, cientista político e coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

4. Lisete Gomes Arelaro, educadora, professora titular da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FE-USP)

5. Vitor Henrique Paro, educador, professor titular da FE-USP e coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Administração Escolar (Gepae)

6. Moacir Gadotti, educador, professor titular da FE-USP e presidente de Honra do Instituto Paulo Freire

7. Fátima Bezerra, educadora, senadora da República (PT-RN)

8. Regina Sousa, educadora, bancária e senadora da República (PT-PI)

9. Ana Maria Saul, professora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), pesquisadora e coordenadora da Cátedra Paulo Freire da PUC-SP

10. Miguel Gonzalez Arroyo, educador, professor titular mérito da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (FaE/UFMG)

11. Jaqueline Moll, professora titular da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Faced/UFRGS) e conselheira do Conselho Estadual de Educação do Rio Grande do Sul

12. Sérgio Haddad, educador, economista, fundador e membro da Ação Educativa

13. Pedro Pontual, doutor em Educação pela PUC-SP, educador popular e Presidente honorário do CEAAL (Conselho de Educação Popular da América Latina)

14. Adelaide Joia, doutora em educação, assessora técnica pedagógico da prefeitura de Franco da Rocha

15. Adelson França Jr, educador de Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH/MG)

16. Adércia Hostin, educadora, presidenta do Sinpro Itajaí e Região e coordenadora de assuntos educacionais da Contee (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino)

17. Adla Betsaida Martins Teixeira, Docente da Educação Superior – FaE/UFMG

18. Adriana Almeida Sales de Melo, professora, Universidade de Brasília

19. Adriana Barbosa da Silva, Assessora Pedagógica da SEME Itaboraí, professora do NEAd PUC- Rio e membro do Colegiado do Fórum de Educação de Jovens e Adultos do Rio de Janeiro

20. Adriana Hernandes Pinheiro, odontóloga

21. Adriana Maria Cancella Duarte, Docente da Educação Superior, UFMG

22. Aída Monteiro, professora da Universidade Federal de Pernambuco

23. Airam Regina de Aquino Martins, Coordenadora Pedagógica, Rede Municipal, Juiz de Fora/MG

24. Albertino Soares Rosa Delgado, professor, secretário nacional da Rede Nacional de Campanha de Educação para Todos de Cabo Verde, Dirigente sindical, tecnólogo de informação e comunicação

24. Alessandra Nicodemos, professora/UFRJ, pesquisadora e membro do Colegiado do Fórum de Educação de Jovens e Adultos do Rio de Janeiro

25. Alessandra Rodrigues dos Santos, professora da rede pública estadual de SP

26. Aléssio Costa Lima, educador e presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime)

27. Alex Criado, doutor em Ciências da Comunicação e professor da FAM, membro da Aliança pela Infância

28. Alexandre Lucas, ator e professor

29. Alexandre Silva Virginio, educador

30. Álida Angélica Alves Leal, doutora em Educação e professora da Faculdade de Educação da UFMG

31. Alysson Faria Costa, professor de História/MG

32. Amanda Guerra, professora da Educação Básica, mestra em educação, membro do Colegiado do Fórum de Educação de Jovens e Adultos do Rio de Janeiro

33. Amelia Bampi, professora, psicopedagoga, membro do comitê da Campanha Nacional pelo Direito à Educação do RS

34. Ana Alice Monteiro dos Santos, professora federal e da Coordenação do Fórum de Educação Infantil RR/MIEIB

35. Ana Carolina Lobo, pedagoga do TJPE e membra da Aliança pela Infância

36. Ana Lúcia Rodrigues, professora do Ensino Fundamental, formada em História, Representante do Comitê MA da Campanha Nacional pelo Direito à Educação e Coordenadora do SINTASP/MA

37. Ana Maria de Albuquerque Moreira, doutora em educação, professora da Universidade de Brasília

38. Ana Moscon de Assis P. Teixeira, educadora do município de Vitória/ES, pesquisadora da infância e atualmente atuando no Conselho Municipal de Educação de Vitória/ES

39. Ana Rosa Costa Picanco Moreira, doutora em Educação e professora da UFJF, membra da Aliança pela Infância

40. Ana Sheila Fernandes Costa, doutora em Ciências da Educação, professora da Universidade de Brasília

41. Anakeila Stauffer, diretora da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio – Fiocruz

42. Anália Gomes Veloso dos Santos, diretora de Escola de Educação Infantil BH

43. Analise da Silva, educadora, docente da Educação Superior da UFMG

44. André Jorge Marinho, professor da Educação Básica, mestre em educação, sindicalista e coordenador do Fórum Estadual de Educação do Rio de Janeiro

45. André Lázaro, professor associado da UERJ

46. André Rodrigues Guimarães, doutor em Educação, Professor da Universidade Federal do Amapá

47. Andréa Siewerdt, especialista em estética e Filosofia da Arte, membra da Aliança pela Infância

48. Andréia Mello Lacé, doutora em Educação, professora da Universidade de Brasília

49. Andréia Nunes Militão, professora Adjunta da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS)

50. Andressa Pellanda, feminista, cientista política, jornalista e assessora da Campanha Nacional pelo Direito à Educação e integrante do Conselho Deliberativo da Aliança pela Infância

51. Angela Biz Antunes, educadora e diretora pedagógica do Instituto Paulo Freire

52. Angela Maria Gonçalves de Oliveira, Professora da Universidade Federal do Amazonas

53. Angelita Lucas, professora da rede municipal de São Leopoldo, dirigente Sindical, membro do Comitê RS da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

54. Ângelo Ricardo de Souza, professor, Universidade Federal do Paraná

55. Anna Paula Vencato, Docente da Educação Básica, FaE, UFMG

56. Antônio Ferreira de Sousa Sobrinho, professor da Universidade Federal do Piauí

57. Antonio Lopes, tecnico-administrativo em educação da Universidade Federal do Espírito Santo, coordenador do Núcleo de Direitos Humanos e Saúde

58. Antonio Marcos da Conceição Uchoa, Pedagogo – IF Sertão-PE.

59. Antonio Severo, educador social

60. Arilene Chaves, educadora, militante pela Educação do Campo e agente educacional (SEDUC/Prefeitura Municipal de João Pessoa-PB)

61. Arlete Almeida Kohutek, educadora do Grupo As Marias Caraibas, membra da Aliança pela Infância

62. Artur Costa Neto, professor da FAAP e da UNIP

63. Augusto César Gonçalves e Lima, Doutor em Educação pela PUC-Rio, Diretor do Instituto de Educação de Angra dos Reis – IEAR/UFF

64. Aurea Bárbara Torres de Jesus, Professora aposentada e Coordenadora do Núcleo Sapiranga, BA, da Aliança pela Infância

65. Avanildo Duque da Silva, educador, geógrafo, agrônomo e gestor ambiental

66. Beatriz Ferraz, educadora, pesquisadora e consultora em Educação Infantil, diretora da Escola de Educadores

67. Bernadete Aparecida Caprioglio de Castro, professora universitária da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp)

68. Bianca Corrêa, professora universitária da USP/Ribeirão Preto

69. Bisa Almeida, educadora e diretora da Escola Experimental, Salvador, Bahia

70. Branca Jurema Ponce, educadora, filósofa, líder do Grupo de Estudos e Pesquisa em Justiça Curricular, Profa. Titular da PUCSP

71. Bruna Tainá Rodrigues, estudante de Políticas Públicas IEAR/UFF; Diretora de Combate ao Racismo da UEE-RJ

72. Camilo Borges de Carvalho, jornalista

73. Carina Elisabeth Maciel, professora da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

74. Carlos Eduardo Sanches, educador, ativista da Campanha Nacional pelo Direito à Educação e presidente da Undime (2009-2011)

75. Carmenísia Jacobina Aires, Doutora em Educação, professora Universidade de Brasília

76. Carolina Azevedo Moreira, professora de Educação Infantil da rede privada – BH

77. Caroline Falco Fernandes Valpassos, Lagebes, Universidade Federal do Espirito Santo

78. Catarina de Almeida Santos, doutora em Educação, professora da Universidade de Brasília, Subchefe do Departamento de Planejamento da FE/UnB, Coordenadora do Comitê DF da Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

79. Celia Abicalil Belmiro, docente da Educação Superior, UFMG

80. Célia Maria Vieira dos Santos, professora, mestre em Política Educacional, membro do comitê diretivo do MIEIB e do Fórum em defesa da Educação Infantil de Pernambuco

81. Célia Maria Vilela Tavares, professora do Centro Universitário Católico de Vitória, professora da Rede Municipal de Ensino de Vitória, membro do Conselho De Educação de Vitória e do Fórum de Educação de Vitória

82. Célia Regina Rossi, educadora, doutora e professora da UNESP/Rio Claro/Araraquara

83. César Eduardo de Moura, Diretor do Centro de Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação PBH

84. Chico Alencar, deputado federal pelo PSOL-RJ

85. Christine Castilho Fontelles, socióloga, coordenadora da Campanha Eu Quero Minha Biblioteca

86. Cida Fernandez, educadora, membro do Comitê Diretivo da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

87. Cisele Ortiz, educadora, psicóloga, especialista em Educação Infantil

88. Clarice Barreto Linhares, educadora, vice-presidente e diretora de comunicação do Sinpro Minas

89. Claudemir Edson Viana, professor da licenciatura em Educomunicação da ECA-USP, coordenador do Núcleo de Comunicação e Educação da Universidade de São Paulo (NCE-USP) e secretário executivo da ABPEducom

90. Cláudia Lago, presidente SBPJor, professora ECA/USP, presidente da Comissão de Direitos Humanos da ECA/USP

91. Cláudia Regina dos Anjos, docente da Educação Básica da PBH.

92. Cláudio Márcio Oliveira, docente da Educação Superior, UFMG

93. Claudius Ceccon, cartunista e educador

94. Cleo Manhas, educadora, equipe do Inesc

95. Cleusa Maria Teixeira de Souza, educadora social

96. Cleuza Repulho, educadora, presidenta da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) (2011-2015; 2007), secretária municipal de educação de São Bernardo do Campo (2009-2015) e de Santo André (2001-2007), membro do Comitê Diretivo da Campanha Nacional pelo Direito à Educação (2001-2015) e presidente do Instituto Campanha Nacional pelo Direito à Educação (2011-2014)

97. Clovis Cara Mansano, administrador de empresas

98. Cristiane Martins, educador, FACED-UFC

99. Cristiane Valesan Canabal Camba, Socióloga, Flacso Brasil

100. Cristina Guimarães Alves, geógrafa e educadora popular, BH/MG

101. Cynthia Greive Veiga, docente da Educação Superior, UFMG

102. Dalcides Santana Pinheiro, docente do ensino Fundamental no Pará

103. Dalva de Souza Franco, pedagoga, aposentada da rede municipal de educação de São Paulo como coordenadora pedagógica e atualmente professora do Centro Universitário São Camilo e membro do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Políticas Educacionais (GREPPE)

104. Daniel Godinho Berger, Professor da Rede Municipal de Ensino de Florianópolis.

105. Danielle Estrela Xavier, Professora de Atividades da SEDF.

106. Danielle Xabregas Pamplona Nogueira, doutora em Educação, professora Universidade de Brasília

107. Darci Perucci, educadora

108. Denis Plapler, professor e educador, sociólogo e mestre em Filosofia da Educação

109. Denise Carreira, feminista, educadora, integrante da coordenação executiva da Ação Educativa e Relatora Nacional de Direitos Humanos da Plataforma DHESCA

110. Denise Maria de Carvalho Lopes, doutora, professora do Centro de Educação – UFRN

111. Diane Funchal, Administradora, Flacso Brasil

112. Dillyane Ribeiro, assessora jurídica do CEDECA Ceará

113. Dionara Schneider, educadora

114. Edjane Teles de Jesus Sales, pedagoga e estudante de psicopedagogia

115. Edna Lopes, educadora, dirigente sindical, conselheira do Conselho Estadual de Alagoas e do Conselho Municipal de Educação de Maceió, militante no Comitê Alagoano da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, do Fórum Em Defesa da Educação Infantil em Alagoas e do Fórum Alagoano da Educação de Jovens e Adultos

116. Edna Maria Alves Fernandes, especialista da Primeira Infância, ativista da Campanha Nacional pelo Direito à Educação e Secretária-executiva da Rede Estadual da Primeira Infância do Rio Grande do Norte (REPI/RN)

117. Ednéia Gonçalves, socióloga, educadora e assessora de educação da Ação Educativa

118. Edson Francisco de Andrade, professor da Universidade Federal de Pernambuco

119. Edson Gonçalves Pelagalo Oliveira Silva, professor, sociólogo e mestre em Seviço Social

120. Eduardo Augusto Moscon Oliveira, professor do Centro de Educação da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e coordenador do Laboratório de Gestão da Educação Básica do Espírito Santo (Lagebes-UFES)

121. Eduardo Cezar da Silva, coordenador estadual da UNCME para o Estado de São Paulo, diretor adjunto da Federação dos Professores do Estado de São Paulo (Fepesp) e presidente do Sindicato dos Professores de Mogi Guaçu e Itapira

122. Eduardo F. Mortimer, Docente da Educação Superior, Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais

123. Eleilson Leite, educador e coordenador de cultura da Ação Educativa

124. Eliábia de Abreu Gomes Barbosa, doutoranda em Educação Brasileira na Universidade Federal do Ceará, professora da Educação Básica da Rede Municipal de Educação de Fortaleza, Membro do Fórum de Educação de Jovens e Adultos do Ceará

125. Eliana de Oliveira Teixeira, professora, pedagoga, Doutoranda em Educação pela UFF, membro do Fórum de Educação de Jovens e Adultos da Região Sul Fluminense e Coordenadora de Diversidade da Secretaria de Educação de Angra dos Reis

126. Eliana Oliveira Bastos, professora em Uibai-BA no Centro de Ed. Infantil Minervina Ferreira

127. Eliane Furtado, educadora

128. Eliane T. Guedes, professora de artes da PBH (aposentada), artista floral

129. Elida Graziane Pinto, procuradora do Ministério Público de Contas, pós-Doutora em Administração pela Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getúlio Vargas – EBAPE/FGV e doutora em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG

130. Eliene Machado Santana, professora na Creche Municipal Nossa Brinquedoteca no Município de João Dourado/BA

131. Eliene Santos Silva, estudante de Pedagogia

132. Elionaldo Fernandes Julião, professor/UFF, pesquisador e membro do Fórum de Educação de Jovens e Adultos da Região Sul Fluminense

133. Elisângela Fernandes, jornalista

134. Eliseu da Silva Souza, professor CESP/UEA (Universidade Estadual do Amazonas), coordenador do Projeto Política “Eu me importo e participo”

135. Elizabeth (Liz) Ramos, cidadã, educadora e filósofa

136. Elmo de Souza Lima, doutor em educação e professor do Programa de pós graduação em educação da Universidade Federal do Piauí (UFPI)

137. Elton Luiz Nardi, professor da Universidade do Oeste de Santa Catarina

138. Emilia Peixoto Vieira professora, Universidade Estadual de Santa Cruz

139. Emilio Reguera Rua, pesquisador do GeoEJA/UFRJ, membro do Colegiado do Fórum de Educação de Jovens e Adultos do Rio de Janeiro

140. Enio Serra, professor/UFRJ, geógrafo, pesquisador e membro do Colegiado do Fórum de Educação de Jovens e Adultos do Rio de Janeiro

141. Erasto Fortes Mendonca, professor aposentado da Universidade de Brasília

142. Erecina Figueiredo, educadora e médica pneumologista

143. Érika Larissa Lopes de Mendonça, contadora, graduanda em Pedagogia na UFPI

144. Esther Solano, educadora, socióloga e docente da Unifesp

145. Eveline Gliria Borges Samary, educadora

146. Fabiana O. Canavieira, pedagoga, professora da Universidade Federal do Maranhão

147. Fabiana Rodrigues, professora da Educação Básica, doutora em educação e membro do Colegiado do Fórum de Educação de Jovens e Adultos do Rio de Janeiro

148. Fabiane Lopes de Oliveira, professora doutora, professora de Pedagogia da PUCPR e UFPR, pedagoga do Instituto Edesio Passos

149. Fátima Lobato Fernandes, professora adjunta da Faculdade de Educação da UERJ

150. Fátima Saikoski, educadora de Porto Alegre – Rio Grande do Sul

151. Fernanda Vick S. Sena, advogada, pesquisadora, mestranda da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco da Universidade de São Paulo (USP)

152. Fernando Cássio, educador e pesquisador, professor da Universidade Federal do ABC

153. Fernando Silva Santos “Silverstom”, educador, recreador e professor da rede estadual de São Paulo

154. Francisca Izabel Pereira Maciel, professora Associada FaE/UFMG

155. Francisca Pini, educadora e diretora pedagógica do Instituto Paulo Freire

156. Franz Galvão Piragibe, mestrando Promestre/FaE/UFMG

157. Frederico Assis Cardoso, docente da Educação Superior, UFMG

158. Gabriel Maia Salgado, jornalista e assessor de projetos

159. Gean Carlos Nunes de Jesus, professor de Língua Inglesa e diretor do Sindiupes – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Espírito Santo

160. Geraldo Grossi Junior, educador, pesquisador, conselheiro do CME/Cuiabá/MT, Assessor da UNCME Nacional

161. Geraldo Márcio Alves dos Santos, Docente da Educação Superior, FaE/UFMG

162. Gilmar Alves da Silva, professor da UFPI da área de políticas públicas – DEFE

163. Gisele Santos Laitano, professora

164. Giselle Watanabe, educadora e pesquisadora, professora da Universidade Federal do ABC

165. Glaber Braga, deputado federal pelo PSOL-RJ

166. Gracy Dutra, professora CESP/UEA

167. Guilherme Trielli Ribeiro, docente da Educação Superior, UFMG

168. Gustavo Amora, pesquisador do Inep

169. Helena Maria Penna Amorim Pereira, pesquisadora da Comissão da Verdade em Mnas Gerais

170. Heleno Araújo, educador e presidente da Confederação dos Trabalhadores em Educação (CNTE)

171. Heli Sabino de Oliveira, docente da Educação Superior, UFMG

172. Heliana Hasche, engenheira de alimentos

173. Iara Pietricovsky de Oliveira, educadora, equipe do Inesc

174. Idevaldo Bodião, doutor, professor da Faculdade de Educação da UFC, colaborador do Centro de Defesa da Criança e Adolescente do Ceará – CEDECA/CE, fundador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

175. Inês Barbosa Oliveira, professora e pesquisadora da UERJ e UNESA

176. Iracema Santos do Nascimento, educadora, professora da FE-USP, Coordenadora Executiva da Campanha Nacional pelo Direito à Educação (2007-2014), presidente da Associação Brasileira de Vídeo Popular (ABVP, 1997-2002) e coordenadora da Comissão Pastoral da Terra de Bauru (1992-1993).

177. Isabel Maria Tojeira Cara Mansano, educadora popular

178. Isabella Lacerda, educadora

179. Ismar de Oliveira Soares, educomunicador, fundador do Núcleo de Comunicações e Artes (NCE-USP), professor aposentado da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) e presidente da Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais em Educomunicação (ABPEducom)

180. Itamar Mendes da Silva, Doutor em Educação, Professor Universidade Federal do Espírito Santo.

181. Ivan Valente, deputado federal pelo PSOL-SP

182. Ivany Rodrigues Pino, educadora, socióloga, professora aposentada da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (FE-Unicamp) e presidente do Centro de Estudos Educação e Sociedade (Cedes)

183. Izabel Cordeiro Ribas Andrade, professora Rede Estadual do Paraná

184. Jacqueline Lopes, graduanda em pedagogia na UFJF e membra da Aliança pela Infância

185. Janaina Angelina Teixeira, mestre em administração, professora da Universidade de Brasília

186. Jane Paiva, professora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e pesquisadora no campo da Educação de Jovens e Adultos

187. Janete Maria Lins de Azevedo, professora da Universidade Federal de Pernambuco

188. Jaqueline Luzia da Silva, professora/UERJ. Membro do Colegiado do Fórum de Educação de Jovens e Adultos do Rio de Janeiro

189. Jaqueline Ventura, professora/UFF, pesquisadora e membro do Colegiado do Fórum de Educação de Jovens e Adultos do Rio de Janeiro

190. Jarbas Clemente da Silva Araujo, graduado em Licenciatura Plena em Educação Física pela ESEFID/UFRGS, 1987, professor concursado da diretoria de esportes da Prefeitura Municipal de Porto Alegre/RS

191. João Ferreira de Oliveira, professor da Universidade Federal de Goiás, presidente da Associação Nacional de Política e Administração da Educação

192. João Marcelo Lucas Schneider, educador social, ator e acadêmico de pedagogia

193. Joelma Gomes de Oliveira Bispo, Pesquisadora UNEB

194. Jonimar dos Anjos Celles, professor pedagogo e licenciado em Biologia pela FTC EaD, Diretor da Escola Municipal Augusto Landulfo Medrado, em Mucugê-BA, membro da Aliança pela Infância

195. Jorge Branco, educador

196. Jorge Luiz Santos de Souza, educador

197. José Álvaro Pereira da Silva, docente da Educação Básica. Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte.

198. José Antonio Moroni, educador, equipe do Inesc

199. José Eustáquio Romão, educador e diretor Fundador do Instituto Paulo Freire

200. José Marcelino de Rezende Pinto, professor universitário da USP/Ribeirão Preto

201. José Renato de Araújo Sousa, docente na UFPI

202. José Vieira Sousa, Doutor em Sociologia, professor da Universidade de Brasília

203. Juarez Melgaço Valadares, docente da Educação Superior, UFMG

204. Juca Gil, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

205. Juliana Fonseca O. Neri, educadora, pedagoga, doutoranda do Programa Educação: Currículo, membro do GEPEJUC (PUC-SP)

206. Juliane Cintra, jornalista e coordenadora de comunicação da Ação Educativa

207. Juraci Antonio de Oliveira, sociólogo, ator, servidor público estadual em São Paulo, integrante do Fórum Estadual de Educação de Jovens e Adultos e da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

208. Jurema Xavier, conselheira da ABPEducom

209. Karine Nunes de Moraes, professora, diretora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás

210. Katerina Volcov, comunicadora, mestra em Educação e Saúde na Infância e Adolescência e doutora em Ciências

211. Kathia Dudyk, pedagoga, Flacso Brasil

212. Kátia Antunes Zephiro, professora de História nas redes municipal e estadual, em Angra dos Reis e coordenadora do SEPE Angra dos Reis

213. Katia Augusta Curado Pinheiro Cordeiro da Silva, doutora em Educação, professora da Universidade de Brasília

214. Katya Lacerda Fernandes, mestre em Educação, Professora e Pedagoga.

215. Kelli Ferreira de Oliveiro, estudante de Pedagogia

216. Kezia Alves, Enfermeira, representante do segmento família, Coordenadora do CRECE CENTRAL e do Fórum Municipal de Educação de São Paulo

217. Leda Scheibe, professora titular, emérita, aposentada da Universidade Federal de Santa Catarina; professora da Universidade do Oeste de Santa Catarina

218. Leila Mattos Haddad de Monteiro Marinho, professora, membro do Fórum de Educação de Jovens e Adultos da Região Sul Fluminense

219. Leila Saraiva, educadora, equipe do Inesc

220. Leonardo Marques Paschoal, Pedagogo Waldorf, Administrador e Coordenador Pedagógico do Jardim Arcanjo Raphael, em Aracaju – SE, membro da Aliança pela Infância

221. Leonardo Nunes Bonfim, assessor parlamentar, estagiário de pedagogia prefeitura Municipal de Simões Filho

222. Leonardo Péricles, morador da Ocupação Eliana Silva e da Executiva Nacional da Unidade Popular – UP

223. Leontina Pereira Lopes, professora aposentada da UFPI, mestre em educação

224. Liana Borges, coordenação da Rede Mova-Brasil e representante dos Movas no

Categoria: Notícia
Compartilhe

Conteúdo relacionado

  • Estudantes protestam contra cortes na educação em Brasília. Foto: Webert da Cruz
    Diálogo com o tsunami da educação: números...
    O novo contingenciamento do orçamento federal afeta a…
    leia mais
  • Em defesa de Paulo Freire, Patrono da Educ...
    Forças conservadoras querem retirar o título de "Patrono…
    leia mais
  • Revista Descolad@s – Ano 1, nº 1
    O ECA completa 20 anos em 2010. Este…
    leia mais
  • Revista Descolad@s – Ano 4, nº 4
    Nesta edição, falaremos sobre os homicídios de jovens…
    leia mais
  • Revista Descolad@s – Ano 5, nº 5
    Nesta edição, estamos abordando novamente a idade penal,…
    leia mais