Doe

Democracia brasileira precisa de mais participação popular nas decisões do Estado

14/06/2017, às 14:15 (atualizado em 24/07/2019, às 15:23) | Tempo estimado de leitura: 4 min
Direito ao voto não pode ser a única expressão da soberania popular, afirma José Moroni, do Colegiado de Gestão do Inesc.

O direito ao voto é a base da democracia brasileira, mas não pode ser a única expressão de soberania popular do país, principalmente pelos vícios que temos hoje no sistema – processos eleitorais distorcidos devido a influência de grandes empresas, falta de representatividade de grupos importantes da população, entre outros. Para aprimorar nossa democracia e enfrentar crises políticas como a que vivemos atualmente, é preciso ampliar a participação popular nas decisões do Estado, afirma José Moroni, do Colegiado de Gestão do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), em entrevista ao site Brasil de Fato.

“Hoje não temos nenhum mecanismo institucional de expressão da soberania popular para resolver essa crise. Não somos chamados para resolvê-la, quem resolveria é o judiciário e as elites, e essa é a mensagem que nos passam a todo momento”, afirma Moroni, acrescentando que isso se complica ao se constatar que justamente essas elites não têm apreço algum à decisões populares por meio do voto – destituíram Dilma Rousseff do cargo de presidenta da República com bases frágeis para dar lugar ao governo Temer e sua agenda política de austeridade e reformas trabalhista e previdenciária.

Moroni aponta a necessidade de ampliar a participação da população nas decisões do Estado, para garantir o fortalecimento de uma democracia direta, com a construção de instrumentos como referendos revogatórios e convocações de plebiscitos.

Todavia, para que tal avanço pudesse ocorrer, Moroni destaca que o primeiro passo para a democratização do Estado é a antecipação das eleições diretas, uma das medidas defendidas pelos setores progressistas da sociedade para restabelecer a democratização do Estado. No Plano Popular de Emergência, documento elaborado pelos movimentos que compõem a Frente Brasil Popular (FBP) – que é formada por mais de 80 organizações -, mais quatro medidas retratam a necessidade de uma maior soberania popular no país.

Leia aqui a matéria completa do Brasil de Fato.

Vamos falar sobre Reforma do Sistema Político?

Se interessou pelo tema? Inscreva-se para receber nosso boletim por email!

Categoria: Notícia
Compartilhe

Conteúdo relacionado

  • O Pacto pela Democracia é uma Plataforma de ação conjunta em defesa da construção democrática no Brasil. Inesc é uma das organizações participantes
    Palavra livre, democracia forte
    "A palavra aborrece tanto os Estados arbitrários, porque…
    leia mais
  • Denúncia foi enviada a Diego Garcia-Sayán, relator especial das Nações Unidas sobre a independência judicial dos magistrados e advogados (foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
    Violações na Operação Lava Jato são denunc...
    As violações ao princípio da independência judicial registradas…
    leia mais
  • Como as candidaturas propõem enfrentar os ...
    Por Alessandra Cardoso e Leila Saraiva, assessoras políticas…
    leia mais
  • Análise de programas econômicos das candid...
    Por Adhemar S. Mineiro, economista e assessor da…
    leia mais
  • José Moroni: Reforma política aprovada no ...
    No início deste mês, o presidente Michel Temer…
    leia mais