Doe

Brasil precisa de uma Frente Ampla da Democracia que vá além do campo da esquerda

20/02/2017, às 12:02 | Tempo estimado de leitura: 3 min
Texto de Selvino Heck, deputado estadual constituinte do Rio Grande do Sul, em artigo publicado no site Sul 21.

A crise política, econômica e social que vivemos no Brasil indica que o ano de 2017 será tão difícil quanto imprevisível, mas independentemente do que acontecer, uma coisa é preciso estar clara para os progressistas e militantes de esquerda no país: não se pode entrar no jogo do ‘quanto pior, melhor’. “Quanto pior, pior”, afirma Selvino Heck, deputado estadual constituinte do Rio Grande do Sul (1987-1990), em artigo publicado no site Sul 21.

No texto, Selvino faz referência a uma fala de José Moroni, do Colegiado de Gestão do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), em reunião do Movimento de Educadores e Educadoras Populares da América Latina (Ceaal) no Fórum Social das Resistências, realizado em janeiro no Rio Grande do Sul.

“Tudo é possível em 2017 ou no próximo período. Pode não haver eleições em 2018. Pode até haver uma intervenção militar. Como também podem surgir oportunidades. Mas é certo que não se resolve a crise só com processos eleitorais. Reconstruir o campo de esquerda só com eleições é insuficiente, senão impossível. É preciso uma Frente Ampla da Democracia que vá além do campo da esquerda. É um processo de médio e longo prazo.”

Para Heck, uma Frente Ampla da Democracia é uma necessidade que se coloca na conjuntura, “assim como a urgência das lutas, das mobilizações, da resistência, no imediato e na conjuntura. Mas sabendo que a reconstrução do Brasil, da democracia, de políticas públicas e sociais com participação popular e de um país soberano, de uma Nação dona de seu nariz, é trabalho de médio e longo prazo. Aliás, como já aconteceu outras vezes na história brasileira”.

Não há outra coisa a fazer, senão recomeçar o Brasil, de alguma forma, em 2017, diz Heck.

Leia aqui o artigo completo.

Vamos falar sobre reforma do sistema político?

Se interessou pelo tema? Inscreva-se para receber nosso boletim por email!

Categoria: Notícia
Compartilhe

Conteúdo relacionado

  • Candidaturas Coletivas nas Eleições 2022
    Estudo do Inesc, em parceria com o coletivo…
    leia mais
  • Foto: José Cruz/Agência Brasil
    Orçamento secreto é controlado por pequeno...
    O orçamento secreto movimentou entre 2020 e outubro…
    leia mais
  • Perfil dos eleitos nas Eleições de 2022
    Pesquisa realizada pelo Inesc, em parceria com o…
    leia mais
  • Equipe do Inesc na COP 27: Iara Pietricovsky, Tatiana Oliveira, Leila Saraiva, Cássio Carvalho e Livi Gerbase.
    COP 27 – Apesar do pouco avanço glob...
    A 27ª edição da Conferência do Clima (COP…
    leia mais
  • COP 27: Brasil precisa fazer uma transição...
    Representantes do legislativo brasileiro, de sindicatos dos trabalhadores…
    leia mais