Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Ferramentas Pessoais
Seções
Você está aqui: Página Inicial Quem Somos Projetos 2016
Você está aqui: Página Inicial Quem Somos Projetos 2016

2016

Publicado em 19/08/2016 16:25

Adolescentes em Movimento pelos Direitos

Apoio: Unicef e Petrobras

O Inesc já desenvolve há oito anos o Projeto Onda, Adolescentes em Movimento Pelos Direitos. Durante esse tempo já realizou oficinas com mais de 700 adolescentes, dos quais, vários estão na Universidade e hoje são ativistas em direitos humanos. Além disso, um dos produtos do projeto é a Revista Descolad@s, que dentre outros usos, é trabalhada por professores como material didático de escolas em tempo integral.

A nossa metodologia Orçamento e Direitos fomenta a participação e incidência política de adolescentes e jovens nas políticas a eles destinadas. Nosso trabalho consiste na formação em Direitos Humanos, Cidadania e Orçamento Público com ênfase na participação democrática. A metodologia agrega fundamentos da educação popular, da arte-educação e da educomunicação, com foco no Estatuto da Criança e do Adolescente e na Convenção pelos Direitos da Criança. Numa segunda etapa, o trabalho privilegia o debate sobre educação de qualidade e a legislação correspondente, com oficinas sobre educação de qualidade e discussão sobre as principais questões do ensino médio.

Observatório da Criança e do Adolescente (OCA)

Apoio: União Europeia

Consolidação do Observatório da Criança e do Adolescente (OCA) na Cidade Estrutural, em Brasília (DF) e promoção do protagonismo de 200 crianças e 40 adolescentes por meio de formação para o registro e mapeamento dos desafios e potencialidades da região onde se localiza o projeto. Assim, o OCA forma observadores para intervirem em seus territórios e criarem possibilidades para os desafios encontrados.

O público diretamente atendido são crianças e adolescentes frequentadores do Coletivo da Cidade.

Os objetivos da ação estão em acordo com processos já desenvolvidos pelo Inesc desde 2010 por meio do Movimento Nossa Brasília, formado por organizações, redes e pessoas, sem vinculação partidária, que buscam um território sustentável, com ampliação da justiça social e redução das desigualdades. Para isso busca a promoção do protagonismo dos cidadãos e cidadãs para que assumam a responsabilidade de contribuir com esta transformação do Distrito Federal em um lugar bom de se viver.

Pró-Catador DF

Apoio: Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (SEDESTMIDH)

O Inesc, em parceria com a Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos - SEDESTMIDH, órgão gestor responsável pela Política de Assistência Social no Distrito Federal, desenvolve ações de estímulo à inclusão produtiva dos catadores(as) de materiais reutilizáveis e recicláveis no Distrito Federal em situações de risco social.

São atividades de mobilização, cadastramento, diagnóstico, capacitação, consultoria, assistência técnica e incubação de cooperativas, associações e grupos de catadores (as) que atuam em redes de cooperação no Distrito Federal. Essas atividades também combatem a precarização das condições de trabalho e a exclusão dos trabalhadores que vivem da coleta de resíduos sólidos.

Fortalecendo o Comitê Nacional em Defesa dos Territórios Frente à Mineração

Apoio: Ajuda da Igreja Norueguesa (Norwegian Church Aid)

Apoiar e fortalecer a atuação do Comitê Nacional em Defesa dos Territórios Frente à Mineração na denúncia dos impactos socioambientais em áreas atingidas por projetos de mineração e a expansão desordenada e predatória da atividade pelo país, a ameaça a direitos sociais e territoriais de populações atingidas pelas atividade e a tentativa das grandes empresas do setor de controlar a reformulação do Novo Código de Mineração, marco regulatório da atividade no Brasil, em discussão no Congresso Nacional.

Entre os desafios postos a partir do desastre socioambiental em Bento Rodrigues (MG), provocado pela empresa Samarco (Vale/BHP), estão a garantia de direitos sociais, trabalhistas e ambientais de populações afetadas pela cadeia da mineração e de toda a sociedade brasileira, frente às consequências negativas do modelo extrativista-minerador brasileiro.

Captação de Recursos (Fundraising)

Apoio: Ajuda da Igreja Norueguesa (Norwegian Church Aid)

Apoiar o Inesc na elaboração de estratégias e plano de ação de captação de recursos individuais, para dinamizar o aporte de recursos para financiamento de ações e iniciativas da instituição. A proposta prevê a construção de uma cultura institucional que torne viável as estratégias de captação individuais pelo Inesc.

Controle social e incidência política para a garantia de direitos, maior transparência e democracia

Apoio: PPM

Monitoramento do orçamento público federal, controle social de sua execução e incidência nas instâncias competentes como Plano Plurianual (PPA), Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e Lei Orçamentária Anual (LOA). A incidência também se dá na temática da justiça tributária, contribuindo para a garantia e promoção dos direitos humanos e superação das desigualdades.

O projeto também trabalha com a sensibilização e informação sobre temas de dimensão internacional, ampliando a capacidade de pressão da sociedade civil organizada e influenciando a definição de políticas que favorecem a conservação e o uso sustentável dos recursos naturais, e melhorem a qualidade de vida de povos indígenas e comunidades tradicionais e camponesas. Também estão no escopo questões relativas à mudança climática e a questão energética.

Outra vertente do projeto é a influência e proposição de projetos de lei que dialoguem com temas como reforma política e políticas públicas para crianças e adolescentes. A pressão da sociedade por uma reforma política contribui para um parlamento mais democrático e comprometido com a garantia de direitos.

Financiamento para o desenvolvimento sustentável na América do Sul

Apoio: Charles Stewart Mott Foundation

A iniciativa busca contribuir para ampliar o debate crítico sobre grandes projetos de energia e infraestrutura e seus impactos,  especialmente focando  na região amazônica brasileira. Por meio do “Observatório de Investimento da Região Amazônica” são geradas e publicadas informações periódicas sobre esses temas, bem como sobre processos de licenciamento ambiental e resistências sociais aos projetos. O trabalho também visa ampliar o debate sobre necessidade de mecanismos de transparência, salvaguardas e responsabilização dos  bancos de desenvolvimento no financiamento à projetos de elevados impactos socioambientais, principalmente o BNDES.

Justiça Fiscal e Desigualdades

Apoio: Christian Aid

Esse é um projeto institucional que dá suporte a determinadas áreas de atuação do Inesc, como Justiça Fiscal e Reforma Política, e contribui para a atualização e aperfeiçoamento da Metodologia Orçamento e Direitos, usada no monitoramento do orçamento público federal para a garantia de direitos.

Elaboração do Orçamento Temático de Medicamentos

Apoio: Open Society Foundations

Existe no Brasil uma carência de pesquisas que avaliem o orçamento da saúde destinado aos medicamentos. Não se sabe exatamente como são definidas as prioridades para esses gastos. O projeto vai produzir o Orçamento Temático de Medicamentos, considerando os gastos federais com medicamentos, para captar a tendência destas despesas; mapear os atores relevantes na área de acesso a medicamentos para entender melhor os processos de tomada de decisão referentes a estes gastos; e, sensibilização da sociedade brasileira em relação ao tema de acesso à medicamentos. Seus objetivos são contribuir para a realização do direito à saúde no Brasil, especialmente no que se refere ao acesso justo e equitativo a medicamentos.

Formação de Formadores

Apoio: KNH

O projeto consiste na mobilização de adolescentes para torná-los aptos a debater e realizar ações em suas comunidades visando enfrentar o problema da violência que atinge os segmentos mais jovens da população. Durante a formação eles têm a oportunidade participar de atividades práticas e teóricas sobre temas como direitos humanos, gênero, raça, orçamento e outros.

Iniciativa Popular para a Reforma do Sistema Político no Brasil

Apoio: Fundação Avina

O objetivo principal dessa iniciativa é apoiar a construção de um Projeto de Lei de Iniciativa Popular sobre a Reforma Política e sua apresentação no Congresso Nacional. A iniciativa é coordenada politicamente pela Plataforma de Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político e pelo Movimento do Combate à Corrupção Eleitoral. Foca na construção de propostas para aperfeiçoar o funcionamento da política brasileira, principalmente, no que tende a democracia direta e participativa, opondo forças conservadoras dentro do Congresso Nacional.

Orçamento, direitos e meio ambiente no âmbito das políticas públicas para Amazônia brasileira e de integração regional sul-americana

Apoio: Fundação Heinrich Böll

Este projeto está focado no tema da integração regional sul-americana. O principal esforço e tentativa de contribuição é de mapear atores sociais, intenções, relações e processos que conformam a dinâmica atual de reestruturação, modernização e expansão do capitalismo na Amazônia sul-americana e nos Andes. A parceria é orientada para cinco temas principais e suas inter-relações: financiamento, megaprojetos, energia, recursos naturais e mudanças climáticas. O projeto tem como objetivo fortalecer a capacidade das organizações e movimentos sociais que lutam pelo desenvolvimento da sustentabilidade na Amazônia e de influenciarem as escolhas e alcance das políticas públicas e o processo de integração regional em curso na região Amazônica Sul Americana.

Fortalecendo A Luta Por Direitos Socioambienteais

Apoio: Instituto Heinrich Böll

A intenção do projeto é contribuir para a garantia e ampliação dos direitos socioambientais por meio da formulação crítica, da articulação com outras organizações e atores socioambientais e de ações de incidência junto aos poderes executivo e legislativo.

Democracia inclusiva e Direitos Humanos no Brasil: novos olhares, novas agendas e novos sujeitos

Apoio: Fundação Ford

Contribuir para o aprofundamento, a radicalização e o redesenho dos processos democráticos no Brasil, por meio da atuação em quatro eixos estratégicos – transparência pública, participação social, juventude e reforma do sistema político –, perpassados por temas transversais (raça e gênero), com um olhar na construção de agendas públicas para o Século 21.

Movimento Nossa Brasília

Apoio: Fundação Avina

O Movimento Nossa Brasília é um espaço de participação política, sem vinculação partidária ou com governos, que integra e dialoga com diferentes pessoas, iniciativas, redes, organizações e movimentos sociais. Funciona como observatório social de forma autônoma e tem um modelo de gestão horizontal e cooperativo.

Os temas em destaque, escolhidos por demanda da sociedade, são: mobilidade urbana, agricultura urbana, cultura e gestão sustentável de resíduos sólido. Nos Grupos de Trabalho (GT) e fóruns temáticos reúnem-se as pessoas interessadas e capacitadas em desenvolver diálogos, acompanhar e planejar incidências em políticas públicas, elaborar e fortalecer projetos e ações cidadãs. Os temas transversais a todas as iniciativas do Movimento são: a Educação Cidadã, a construção participativa de Indicadores de Sustentabilidade e a Comunicação para Mobilização Social

O Movimento Nossa Brasília faz parte da Rede Social Brasileira por Cidades Justas, Democráticas e Sustentáveis.

Mapa das Desigualdades - Movimento Nossa Brasília

Apoio: Oxfam Brasil

O Mapa das Desigualdades é uma construção que possibilita visualizar as desigualdades no território ao comparar regiões. Permite que se compare saúde, educação e outras políticas garantidoras de direito e como elas estão distribuídas pelas cidades. No caso de Brasília, será analisado todo o seu diverso território que possui apenas um município, mas várias e diferentes cidades.

O poder de incidência dado por esta ferramenta é enorme, visto que não há como mascarar a forma como são distribuídos recursos e equipamentos. Em geral, os locais mais centrais possuem melhores indicadores que os locais mais periféricos. E sabe-se que não é possível o amadurecimento da democracia sem o combate frontal às desigualdades.

Oficinas de Teatro para jovens moradores da Cidade Estrutural (DF)

Apoio: Fundo de Apoio à Cultura (FAC) do Distrito Federal

Identificar e contatar jovens moradores da Cidade Estrutural (comunidade formada em torno do maior lixão da América Latina) que estejam interessados nas artes cênicas e na discussão da orientação sexual, para participarem de oficina de teatro. Objetivo da oficina é a montagem de um espetáculo a partir das discussões e das experiências individuais dos jovens envolvidos, relacionadas à comunidade onde vivem.

Além da apresentação teatral, serão montadas uma exposição audiovisual e uma fotográfica com registros da oficina, da montagem, dos ensaios e dos depoimentos da equipe. Finalmente, será criada uma revista também com registro fotográfico e textos a partir das reflexões e pesquisas realizadas ao longo do processo, voltadas à arte, à sexualidade e à periferia, com foco na Cidade Estrutural. A oficina será realizada na Estrutural e as apresentações do espetáculo, juntamente às exposições, serão realizadas na Estrutural e Plano Piloto, sendo 6 apresentações/exposições em cada localidade, totalizando 12 apresentações/exposições (uma das apresentações com tradução em LIBRAS).

Ações do documento

Comentários (0)

Apoio Institucional
  • apoio18.png
  • apoio19.png
  • apoio13.png
  • apoio10.png
  • logoCEA.png
  • apoio9.png
  • apoio6.png
  • logosnf.png
  • logobrot.png