Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Ferramentas Pessoais
Seções
Você está aqui: Página Inicial Notícias Notícias do Inesc 2016 Fevereiro "Os adolescentes precisam se organizar para influenciar nas políticas públicas"
Você está aqui: Página Inicial Notícias Notícias do Inesc 2016 Fevereiro "Os adolescentes precisam se organizar para influenciar nas políticas públicas"

"Os adolescentes precisam se organizar para influenciar nas políticas públicas"

Publicado em 19/02/2016 18:10

Thallita de Oliveira, que faz parte do Projeto Onda, do Inesc, convocou os jovens participantes da Conferência dos Direitos da Criança e do Adolescente a se informarem e se apropriarem do conhecimento para que possam contribuir na construção de propostas para políticas públicas.

"O que é participação? O que é preciso para se participar efetivamente?" As perguntas feitas hoje cedo por Thallita de Oliveira Silva, do projeto Onda - Adolescentes Protagonistas, do Inesc, durante a I Conferência Regional Norte/Sobradinho dos Direitos da Criança e do Adolescente, soaram meio provocativas, mas foram um convite aberto à reflexão.

"A ideia era levantar uma reflexão sobre quais espaços participamos efetivamente, de como está se dando essa nossa participação", afirmou Thallita, que foi convidada pelo Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente do Distrito Federal (CDCA/DF) para participar da mesa de debate para discutir “Política e Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes – Fortalecendo os Conselhos de Direitos da Criança e do Adolescente”.

Thallita fez uma convocação para que os adolescentes se apropriem do conhecimento e se informem sobre os temas propostos  - Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), Política e Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes, e Conselho de Direitos da Criança e do Adolescente - para que possam contribuir na construção de propostas.

"É preciso que as instituições governamentais, organizações da sociedade civil e movimentos organizados que atuam no debate dos direitos de crianças e adolescentes estejam dispostos a conversar com os adolescentes sobre essas temáticas", diz Thallita, lembrando também que é de extrema importância saber ficar de olho no orçamento público, porque é ele que garante as políticas públicas de saúde, educação, cultura e lazer.

"Precisamos ter acesso a esse orçamento, e também ajudar na construção do mesmo. Os adolescentes  precisam se organizar nesse sentido", convocou a jovem, terminando sua fala com outra provocação/reflexão aos jovens presentes: "De que forma você pode ajudar na construção de um mundo novo, de um lugar melhor pra se viver? A gente precisa compreender que todas e todos nós somos importantes nesses espaços, e que existem grupos que ainda têm menos acesso aos direitos, que são bem mais violentados. É preciso dar subsídios para que esses grupos tenham também espaço para falar sobre suas realidades nessas conferências e nos espaços políticos em geral", citando como exemplos meninas e meninos moradoras/es de rua, adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas, meninas e meninos da área rural e indígenas, entre outros.

Durante o evento foi lançada a 5ª edição da Revista [email protected], uma publicação alternativa em que a principal voz é a dos/as adolescentes. Produzida desde 2010, a publicação é desenvolvida durante as atividades do projeto “Onda: adolescentes protagonistas”, iniciativa do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) que conta com o patrocínio da Petrobras.

Ações do documento

Comentários (1)

Usuário Anônimo 25/02/2016 18:16
Alguém reparou que os adolescentes não estão olhando para a expositora?
Apoio Institucional
  • apoio18.png
  • apoio19.png
  • apoio13.png
  • apoio10.png
  • logoCEA.png
  • apoio9.png
  • apoio6.png
  • logosnf.png
  • logobrot.png