Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Ferramentas Pessoais
Seções
Você está aqui: Página Inicial Notícias Notícias do Inesc 2011 Julho Quatro em cada dez mulheres já foram vítimas de violência doméstica
Você está aqui: Página Inicial Notícias Notícias do Inesc 2011 Julho Quatro em cada dez mulheres já foram vítimas de violência doméstica

Quatro em cada dez mulheres já foram vítimas de violência doméstica

Publicado em 05/07/2011 17:39

Anuário das Mulheres Brasileiras, lançado nesta semana, aponta que 43,1% da população feminina do Brasil já sofreu algum tipo de violência em sua própria residência.

05 de julho de 2011

O Anuário das Mulheres Brasileiras, lançado no último dia 4, revela que a cada dez mulheres brasileiras, pelo menos quatro já foram vítimas de algum tipo de violência doméstica. O estudo, desenvolvido pela Secretaria de Políticas para as Mulheres e o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), confere que 43,1% da população feminina do Brasil já sofreu algum tipo de violência em sua própria residência. O percentual diminui três vezes em relação aos homens e cai para 12,3%.

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2009, feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Além destes, o anuário compila as diversas informações sobre a situação das mulheres no país encontradas em outras publicações. Conforme Eliana Graça, assessora política do Instituto de Estudos Socioeconômicos (INESC), esta organização de dados é a real importância do documento. “O Anuário é fundamental na luta política relativa aos direitos das mulheres, pois ele subsidia e potencializa o poder de argumentação das entidades”, declara Eliana.

Os dados condensados no Anuário das Mulheres Brasileiras revelam a timidez com que o estado combate a violência contra as mulheres, como explica a assessora política do Inesc, Eliana Graça. “Falta mais energia e investimento do governo. A nossa legislação [a lei Maria da Penha] aborda a questão da violência de maneira abrangente e eficaz, mas ainda não faz parte da vida das mulheres”, finaliza.

Números da discriminação

Ainda segundo os números da Pnad de 2009 incluídos no anuário, de todas as mulheres agredidas no país, dentro e fora de casa, 25,9% foram vítimas de seus cônjuges ou ex-cônjuges.

Dados da Secretaria de Políticas para as Mulheres apontam ainda que o número de atendimentos feitos pela Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 cresceu 16 vezes de 2006 para 2010. Em 2006, foram feitos 46 mil atendimentos. Já no ano passado, foram 734 mil.

Desse total, 108 mil atendimentos foram denúncias de crimes contra a mulher. Mais da metade desses crimes eram casos de violência.

Do total de mulheres agredidas, 25,9% foram vítimas de companheiros ou ex-companheiros. O mesmo estudo aponta que os casos de violência doméstica contra homens é três vezes menor (12,3%).

O número de ligações para a Central de Atendimento à Mulher – Disque 180 – também vem aumentando nos últimos anos. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad 2009), a procura aumentou 16 vezes de 2006 para 2010.

Em 2006, foram registrados 46 mil atendimentos. No ano passado, o total saltou para 743 mil, incluindo 108 mil denúncias de crimes contra a mulher, sendo que mais da metade desses se referiam a casos de violência.

Mais sobre o estudo: o anuário reúne as principais estatísticas e informações disponíveis sobre a mulher no mercado de trabalho, na saúde, nos espaços de poder, entre outros. O objetivo é subsidiar a aplicação e a orientação de políticas públicas, auxiliar as dirigentes sindicais brasileiros na ação pela equidade de gênero, além de ser fonte para instituições, organizações sociais e governos estaduais e municipais nas questões relacionadas à mulher.

Clique para ler o Anuário das Mulheres 2011

*Com auxílio de informações da Agência Brasil e Jornal do Brasil
 

 

Ações do documento

Comentários (0)

Apoio Institucional
  • apoio18.png
  • apoio19.png
  • apoio13.png
  • apoio10.png
  • logoCEA.png
  • apoio9.png
  • apoio6.png
  • logosnf.png
  • logobrot.png