Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Ferramentas Pessoais
Seções
Você está aqui: Página Inicial Notícias Notícias do Inesc 2008 XII Unctad e o papel do multilateralismo
Você está aqui: Página Inicial Notícias Notícias do Inesc 2008 XII Unctad e o papel do multilateralismo

XII Unctad e o papel do multilateralismo

Publicado em 08/04/2008 18:53

É importante que a Unctad, a conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, seja preservada como um espaço de reflexão e por dar um sentido mais humanitário ao capitalismo. A defesa foi feita por Iara Pietricovsky, representante da Rede Brasileira pela Integração dos Povos - Rebrip em audiência pública realizada pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional das Câmara dos Deputados. A reunião da Unctad foi encerrada em Accra, Gana, na sexta-feira 25 de abril.
XII Unctad e o papel do multilateralismo

Imagem Agência Brasil

A Unctad ainda é considerada, pelos representantes da sociedade civil, como um espaço onde há abertura para a construção de um pensamento de países em desenvolvimento que proponham alternativas para o poder hegemônico das grandes potências industriais. Por isso, precisa ser preservada para que faça um contraponto às imposições regulativas que vêm sendo impostas pela Organização Mundial do Comércio - OMC.

"A questão que precisamos debater é como anda o multilateralismo", defendeu Iara Pietricovsky, argumentando que o enfraquecimento das Nações Unidas atinge a todos os órgãos a ela subordinados. Iara reconheceu haver uma tendência de redução do valor e do papel da Unctad, mas reafirmou a necessidade de que a sociedade civil promova uma resistência a essa tentativa de desmonte por ser este ainda um dos únicos espaços que tem valorizado e permitido um diálogo aberto e franco com organizações da sociedade civil de todo o planeta.

"A OMC define, atualmente, muito mais posições do que as Nações Unidas", argumentou ela. Outro fator que leva inquietações ao seio da sociedade civil é o fato do atual presidente da Unctad, o malaio Supachai Panitchpakdi,  que anteriormente esteve à frente da OMC ser um defensor de idéia neoliberais, contrárias às defendidas pela sociedade civil.

O ministro Carlos Márcio Consendey, diretor do Departamento Econômico do Ministério das Relações Exteriores, fez um resgate sobre o papel da Unctad ao longo das últimas quatro décadas e ressaltou o esforço que vem sendo realizado, principalmente pelo denominado Grupo 77, do qual o Brasil é um dos porta-vozes, em defesa da manutenção da Unctad como um fórum de debate sobre comércio e desenvolvimento.

O ministro Consendey relatou que no momento está sendo fechado o documento-base da XII Conferência com as posições que conseguiram ser consensuadas entre os diversos membros. Ele explicou que, até o momento, foi possível preservar o seguinte tripé para a Unctad: capacidade de reflexão; capacidade de gerar consensos e capacidade de prover assistência técnica para os países em desenvolvimento.

A audiência foi presidida pelo deputado Takayama, vice-presidente da Comissão de Relações Exteriores na sessãoque abordou a Posição do governo brasileiro para a Conferência da Unctad que será realizada entre os dias 20 e 25 de abril, em Accra, capital de Gana.

Veja abaixo os sites da XII Unctad e a programação da participação e acompanhamento do evento pela da sociedade civil

The UNCTAD XII Civil Society Forum

Unctad XII

 

Declaração em inglês do Fórum da Sociedade Civil na respectiva página

 

Acompanhe abaixo algumas informações sobre o evento divulgadas pela mídia

 

Ações do documento

Comentários (0)

Apoio Institucional
  • apoio18.png
  • apoio19.png
  • apoio13.png
  • apoio10.png
  • logoCEA.png
  • apoio9.png
  • apoio6.png
  • logosnf.png
  • logobrot.png